sábado, 31 de Dezembro de 2011

Adjetivos - casos especiais

Existem seis adjetivos que têm uma formação diferente no comparativo e no superlativo que tem as formas regular e irregular ). Os adjetivos são: Bom, mau, grande, pequeno, alto, baixo E aparecem por estea ordem nos graus: normal; comparativo e superlativo ( irregular e regular: -> Bom Melhoor ótimo boníssimo -> Mau Pior Péssimo Malíssimo -> Grande Melhor Máximo Grandíssimo -> Pequeno Menor Mínimo Pequeníssimo -> Alto Superior Supremo, sumo Altíssimo -> Baixo Inferior Ínfimo Baixíssimo

quinta-feira, 29 de Dezembro de 2011

Os adjetivos

Os adjetivos são palavras que atribuem determinadas qualidades aos nomes. Em português, geralmente, colocam-se depois (à direita) do nome, exceto em casos em que a inversão desempanha um efeito estético ou estilístico ou de foco - estes casos são muito vulgares na poesiae mesmo em textos do género narrativo. O adjetivo varia em género e número, com regras semelhantes à flexão dos nomes. Os adjetivos podem ser qualificativos quando exprimem qualidades ou atributos do nome - belo chapéu; numerais sempre que exprimem ordem ou sucessão numa sequência numérica - ex. segundo; relacionais quando derivam de um nome e revelam uma relação de agente ou posse relativamente ao nome - Ex. critica musical. No que diz respeito ao número e ao género, os adjetivos podem ser uniformes e biformes. Os adjetivos flexionam em três graus: normal, comparativo e superlativo. Os graus comparativo e superlativo apresentam subdivisões. Grau normal indica a simples atribuição da caraterística. ex: O João tem uma cara simpática. Grau Comparativo estabelece a comparação entre dois seres ou objetos, quanto a uma dada qualidade ou caraterística. Tem três subdivisões: - comparativo de inferioridade: O Pedro é menos simpático do que a Paula. - comparativo de igualdade - O Pedro é tão simpático como a Paula. - comparativo de superioridade - O Pedro é mais simpático do que a Paula. Grau superlativo - indicca o grau mais elevado da caraterística expressa pelo adjetivo. Grau Superlativo Absoluto - indica o grau mais elevado da caraterística expressa pelo adjetivo, sem estabelecer nenhuma comparação. Absoluto sintético é formado pela junção do sufixo issimo, ílimo ou érrimo ao adjetivo no seu grau normal. exs: claro -> claríssimo,acre -> acrérrimo, difícil -> dificílimo Superlativo absoluto sintético - coloca-se antes do adjetivo no seu grau normal o advérbio de quantidade muito ou equivalente, demasiado, bastante. Superlativo relativo exprime a caraterística de um ser ou objeto, estabelecendo uma relação entre esse ser ou objeto e os outros seres ou objetos pertencente ao mesmo conjunto. Superlativo Relativo de Inferioridade - A Ana é a menos simpática. Superlativo Relativo de Superioridade - A Ana é mais simpática.

domingo, 23 de Janeiro de 2011

Os determinantes

Os determinantes são uma classe de palavras fechada, precedem nome na frase e determinam algumas características do nome como o género e o número. são, portanto especificadores do nome. Alguns determiantes contraiem-se com preposições.
Os determinantes têm várias sublcasses:
- artigos (definidos e indefinidos);
- determinantes demonstrativos - demonstram - (esta, essa, aquela)Têm valor deíctico, porque localizam o nome que se encontra à sua direita no espaço e no tempo. Este - próximo de quem fala, esse - próximo da pessoa a quem se fal, aquele - afastado de quem fala e da pessoa a quem se fala. também são determinantes demonstrativos - o mesmo, o outro, o tal;
- determinantes possessivos - indicam a posse - (1ª. pessoa o possuidor é quem se exprime, 2ª. pessoa o possuidor é aquele a quem se fala, 3ª. pessoa é aquele de quem se fala (meu, teu, seu, nosso, vosso, seu);
- determinantes indefinidos - marcam a indefinição - (algum, outro, certo, tanto, etc.).
-

domingo, 2 de Janeiro de 2011

Nome

Os nomes servem para nomear, designar e são uma classe de palavras aberta, dado admitir novos vocábulos e variável, porque flexiona em género, número e grau.
Os nomes possuem várias subclasses:
- nomes próprios, designam nomes de pessoas, países, cidades, meses do ano, dias da semana, pontos cardeais, ex: Lisboa;
- nomes comuns subdividem-se em:
- nomes colectivos designam um conjunto de seres ou objectos, ex: multidão;
- nomes concretos designam pessoas, coisas, instituições, lugares, etc. pertencentes ao mundo físico, ex: aldeia;
- nomes abastractos designam ideias que não têm existência no mundo físico, mas existem no nosso pensamento, ex: emoções, sentimentos, atitudes - felicidade, paz, amor;
nomes contáveis são aqueles que podem ser contados e podem ser antecedidos por numerais, ex: uma casa, duas casas, três casas;
- não contáveis não pdem ser quantificados nem contados, porque designam um conjunto impossível de ser contado, ex: cimento, areia, água, farinha, madeira, etc.

Variação quanto ao género:
- nomes viformes, aqueles que têm uma forma para cada género, Ex: aluno/aluna;
- nomes comuns de dois, aqueles que nada dizem quanto ao género da pessoa indicada, sendo este dado pelo determinante que antecede o nome, Ex: um artista/uma artista;
nomessobrecomuns são aqueles que referenciam seres humanos, mas que apenas referenciam um género, Ex: a testemunha;
- nomes epicenos designam sempre animais e apenas apresentam um género, pelo que o sexo do animal tem de ser referido por "macho ou "fêmea, Ex: corvo macho/corvo femea.

flexão em número, geralmente, fazem o masculino acrescentando um s ao singular;

- quando o singular termina em ão, o plural poderá terminar em ãos, ães, ões, depende do étimo latino da palavra, Ex: irmãos/limões/pães;
- quando um nome no singular termina em l, o plural termina em is, Ex: farol - faróis, papel - papéis, capital - capitais.

Os graus dos nomes são três: aumentativo, diminuitivo e normal, vozinha - voz - vozeirão.

quarta-feira, 11 de Agosto de 2010

Classes de palavras

Numa frase as palavras estabelecem relações horizontais ou sintágmáticas umas com as outras. Cada uma das palavras que constitui a frase poderá ser substituída por outras - com igual significado - com as quais estabelecem um eixo vertical ou paradigmático.

A rapariga come algumas cerejas.
Ex: rapariga pode ser substituída por menina, miúda, garota, cachopa.

As classes de palavras são dez:
- determinantes; nomes; pronmes; advérbios; conjunções; adjectivos; quantificadores; verbos; preposições; interjeições.

As classes de palavras podem ser: abertas ou fechadas consoante são constituídas por um número ilimitado e com a possibilidade de acolher novas palavras ou constituídas por um número fixo e sem possibilidade de acrescentar novas palavras.

As classes de palavras invariáveis não variam em género, número ou grau e são as preposições, interjeições, conjunções e advérbios. As restantes classes de palavras são variáveis.
Algumas classes possuem subclasses de palavras - palavras agrupadas com determinadas características comuns -, facto que não se pode dissociar da integração da palavra na frase.

domingo, 15 de Novembro de 2009

Formas de Frase

Formas Afirmativa/Negativa
Ex: A noite é boa conselheira. - forma afirmativa
A noite não é boa conselheira. - forma negativa

Forma Activa/Passiva
Ex: O político proferiu um discurso. - Forma Activa
Um discurso foi proferido pelo político - Forma Passiva
Ãs principais alterações são:
sujeito da frase na voz activa passa a ser complemento agente da passiva.
O verbo da frase na voz/forma passiva não está conjugado da mesma maneira que o verbo na forma/voz activa, apesar de continuar conjugado em tempos do pretérito.
Finalmente, o complemento directo da frase na forma activa passa a ser o sujeito da frase na forma passiva.

Forma neutra/enfática

Forma enfática:
Exs. Eu lhe dou o troco.
Ele sabe o que fazer.
Não cquero saber.
A música de discoteca é que fascina os jovens.
Todas estas frases estão na forma enfática. a forma enfática possui expressões ou palavras como: é que, já, lá, cá, as quais conjuntamente com a entoação servem para dar ênfase à frase.
Quando nem a entoação, nem as palavras como as enunciadas põem em relevo o que afirmamos, a frase tem a forma neutra.

Cada tipo de frase surge associado a diferentes formas de frase. Assim uma frase do tipo declarativo pode ter as formas activa/passiva + formanenfática/neutra + forma afirmativa/negativa.

Ex: o Tiago desobedeceu ao sinal. - frase do tipo afirmativo e com as formas activa, afirmativa e neutra.

sábado, 7 de Novembro de 2009

Tipos de frase

Os diferentes tipos de frase traduzem o modo como nos relacionamos com o mundo dos objectos e das pessoas.
Frases do tipo declarativo:
Ex: Portugal é uma república.
Os alunos que estudam têm boas notas.
Não fui à escola, porque estava doente.
Estas frases - a primeira simples, e as restantes complexas - são frases do tipo declarativo. As frases do tipo declarativo caracterizam-se por darem uma informação, darem conta de um facto ou situação.

Frases do tipo imperativo:
Ex: Vai estudar.
Se conduzir não beba.
Este tipo de frases caracteriza-se por ter o verbo no modo imperativo e está associado a ordens, conselhos, instruções.

Frases do tipo interrogativo:
ex: Viste o filme na televisão?
- Quem entrou?
Estas frases são interrogativas directas, as quais se caracterizam por um ponto de interrogação. A primeira é interrogativa total, porque a resposta incide sobre toda a pergunta. A segunda é interrogativa parcial, porque a resposta incide apenas sobre o pronome interrogativo QUEM.
A mãe perguntou-me se tu tinhas ído à piscina.
A mãe perguntou-me quando é que tu tinhas ído à piscina.
Estas frases são exemplos de interrogativas indirectas, as quais terminam por um ponto final. A primeira é uma interrogativa total, porque a resposta incide sobre a totalidade da pergunta. A segunda é uma interrogativa parcial, porque a resposta apenas incide sobre parte da pergunta, apenas sobre quando.

Frases do tipo exclamativo:
As frases de tipo exclamativo caracterizam-se por terminarem sempre por um ponto de exclamação e podem ter vários sentidos.
Ex: O livro já chegou! - satisfação
Cheira-me aqui a gent enova! - ameaça
Parece um apresentador de televisão! - admiração
O romance é fantástico! - exclamativa total, uma vez que incide sobre toda a frase.
Como lês bem! - exclamativa parcial, na medida em que a exclamação apenas incide sobre o grupo verbal.